Apple Patenteia o “iBoat”, a última invenção de Jobs antes de morrer

Muito se fala sobre qual teria sido o último projeto pensado por Steve Jobs antes de sua morte em 2011, causada por um câncer de pâncreas. Haviam sido registradas 323 patentes que apontam Jobs como inventor. Recentemente, a última ideia de Jobs foi confirmada com a patente 324.

Acha que se trata de mais um tablet, telefone ou relógio? Se enganou!

Desta vez, o produto é ainda mais exclusivo. Segundo o site Patently Apple, o pedido de registro foi realizado em março de 2013, com um nome pouco comercial: “comando de controle remoto usando um dispositivo móvel sem fio.” Traduzindo: Jobs desenhou um iPad para barcos.

O que provavelmente teria sido chamado de “iBoat” é um eletrônico similar a um smartphone, com tela touch e capaz de dirigir e monitorar o funcionamento da embarcação. Essa invenção inovadora permitiria controlar desde o ar condicionado dos quartos até a direção do leme (o “volante” dos barcos) apenas movendo um dedo. Não é por acaso que esta é a última invenção conhecida de Jobs.

Há seis anos ele estava envolvido na construção de um grande iate, vindo a falecer meses antes da conclusão. Vênus, a deusa romana do amor, foi o nome escolhido.

Quanto às especificações técnicas, o desempenho seria baseado em comunicação sem fio graças a uma interface de controle eletrônico, acoplada no barco. Isso viria, é claro, com vários sensores que coletam informações como profundidade, direção do vento e velocidade.

planos-jobs-1

Embora a morte de Jobs tenha frustrado a materialização da patente, Vênus, cujo custo estimado é de cerca de 110 milhões de euros, está navegando pelos mares desse mundão afora!

A embarcação foi feita pelo renomado designer industrial francês Philippe Starck. Segundo ele mesmo relata, a conversa com Jobs para assumir o trabalho durou apenas 15 segundos, por telefone.

“Você gostaria de fazer um barco para mim?”, perguntou Steve. “Eu projetei tudo (tudo, tudo, tudo) em uma hora e meia. Trabalhei extremamente rápido”, completa Starck durante entrevista com a edição francesa da Vanity Fair.

Jobs lhe deu carta branca para o projeto com apenas três requisitos: o casco deve medir exatos 82 metros, teria apenas seis quartos idênticos (para a família e tripulação) e o terceiro e mais importante, deveria ser silencioso. “Ele estava obcecado por silêncio. Em sua casa as crianças não faziam barulho, nem o cão, nem sua mulher… Ninguém fazia qualquer barulho, nunca.” – relata.

Em dezembro de 2012, um ano após a morte de Jobs, o navio navegou pela primeira vez partindo do porto de Amsterdã. A viúva de Jobs, Laurene Powell, é a atual dona do Vênus, no entanto, a mesma sendo processada por Starck, que alega falta de pagamento de pelo menos três dos nove milhões de euros acertados pelo design do projeto.

Agora que a patente oficial saiu, resta saber se comercializar o iBoat está entre os planos de Tim Cook, atual CEO da empresa, que vem mudando muitas coisas da era Jobs e conquistando um sucesso econômico tremendo para a maçã.

E para os fãs da Apple, parece que a última criação de Jobs foge um pouco do orçamento, não é mesmo?

Abraços!

By |2016-08-18T13:57:14-03:0018/08/2016|Noticias|

Sobre o Autor:

Formado em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Alagoas – UFAL, fundador da Agência Overpoint, empresa ativa na área de Marketing, Publicidade e Propaganda. Trabalhou como designer, gestor de mídias sociais e campanhas publicitárias. Apaixonado por tecnologia, automação e redes sociais, adora testar novidades e contribuir com o desenvolvimento das mesmas.

Deixar Um Comentário